Rumo a um Programa de Empreendedorismo Sustentável

31/10/2016

Depois do projeto Empreende Juquitiba, que capacitou empreendedores locais e potencializou as oportunidades de negócio no município, o Instituto Camargo Corrêa (ICC), em parceria com o Instituto Meio, decidiu aperfeiçoar e estender o trabalho para outras regiões através do Programa Empreendedorismo São Lourenço que, além de Juquitiba, abrange os municípios de Ibiúna, Vargem Grande Paulista e São Lourenço, todos em área de abrangência da obra CCSL – Consórcio Construtor São Lourenço.

Ao todo, serão treze meses de trabalho, com previsão de término em outubro de 2017, quando se pretende ter implementado um programa continuado de geração de empreendimentos socioambientais sustentáveis que não dependa mais de recursos do ICC. Empreendedorismo São Lourenço capacitará empreendedores locais para que eles desenvolvam planos de negócios viáveis para seus municípios. A o final, eles apresentarão suas propostas a um comitê que selecionará quais serão apoiados na participação em eventos de captação de recursos e concursos de startups, como aconteceu no projeto Empreende Juquitiba.“Fala-se muito sobre empreendedorismo, mas a verdade é que grande parte das startups é de quem estudou fora e que naturalmente tem mais chances. O projeto leva oportunidade justamente para quem não tem fácil acesso”, afirma Lars Diederichsen, gestor do Instituto Meio.

Em paralelo à formação dos empreendedores, atores locais estão sendo mobilizados para formação do comitê, que passa a ter papel mais relevante. “Ele não atuará apenas na escolha de empreendimentos viáveis para a região, mas será envolvido já no diagnóstico de oportunidades e ajudará a definir as linhas prioritárias de empreendedorismo”, explica Lars.

Outro diferencial do programa é o fundo de apoio continuado aos empreendimentos que deve ser criado. “Estudaremos a melhor forma de gerir este fundo, os possíveis parceiros e como eles podem ter retorno para que isso seja sustentável. A grande meta é ter um programa contínuo de apoio ao empreendedorismo, por isso a ideia é que o fundo seja nacional e acessível por projetos deste tipo em todo o Brasil”, conclui Lars.